terça-feira, 14 de abril de 2015

Vida de cachorro (parte II)


Depois do que me pareceu uma eternidade, aquela organização toda, minha humana me chamou ,sacudindo nas mãos a minha coleira, sem pestanejar, tomado por uma alegria imensa corri ao encontro dela, estava feliz por dois motivos, o primeiro era que eu ia fazer a deliciosa coisa de marcar território que só nós entendemos e assim posso verificar quem andou pelas  redondezas , e estava feliz porque o encontro com meus amigos de quatros patas podia solucionar o mistério que envolvia minha humana desde que o dia amanheceu.

Chegamos no parque, ela soltou minha coleira e eu ‘’corri para o abraço’’, ou melhor, para ‘’as cheiradas’’, lambidas, pulos, pequenas mordidas e todos os tipo de cumprimentos que envolve nossa raça canina, após alguns minutos quando nossos ânimos já estavam mais brandos, e eu cansado de correr, cheguei perto do Juca, o Juca é meu amigo enormeeeee ele é um Golden qualquer coisa, perto dele sou ‘’fichinha’’ é o que eles gostam de dizer, ele já frequenta o parque há mais de 7 anos, e já viveu muita coisa com sua humana, inclusive a chegada  de um humano macho, ao qual ele teve que dividir sua humana, e quando ele estava se acostumando há pouco mais de 6 meses chegou um mini humano pra bagunçar o coreto, Juca ama o mini humano, e já nos confessou que ama tanto quanto sua humana, que o mini humano agora é seu ‘’brother’’.
_ E ai Juca beleza? Como anda a loucura com o mini-humano se arrastando pela casa agora te pegando pelo rabo e babando em você, mas do que você consegue babar nele?
- E ai Fredi meu chapa! Esta tudo bem cara, sou louco por esse mini-humano, ele me deixa doido, mas amo ele!
- Pô que legal, fico assim agitando minha cauda de felicidade por você, cara queria te fazer umas perguntas, com seu tempo de convivência com humanos pode ser que você consiga me esclarecer um mistério, que esta me rondando desde hoje pela manhã.
Juca deitou, esticou as patas apoiando seu longo focinho sobre elas como em um sinal...’’fala que eu te escuto’’, fiz o mesmo e comecei...


- Então, estava tudo normal la no AP, até hoje de manhã, quando minha humana, me acordou dizendo, que hoje seria um dia especial, que ela esperava que fosse bom para mim e para ela, pediu para eu me comportar no jantar, parece que tem uma visita nova no pedaço, e vi ela sorridente demais logo ao acordar falando pelo aquele treco que chamam de telefone, ela ficava rindo pro aparelho como se ele fosse corresponder ,eu pelo menos lambo ela, mas não vi nenhuma manifestação vinda daquele treco pra desencadear tamanha alegria!
- Cara.... Juca começou dizendo com um suspense- as noticias não são boas!
- A não! Foi tudo que consegui dizer!
- Tudo indica que tem um humano macho chegando ao pedaço e que ele não tem pelos e nem patas, o que por um lado é bom, porque ele ocupa um lugar que não é para você entende, por outro significa que é chegado o momento de dividi-la!
- Não, não pode ser, ainda sou só um bebê como vou dividi-la, já divido ela com o tal de trabalho que eu nem sei quem é esse cara, e agora vem esse outro possível humano....Oh céus!
- Calma rapaz, não há motivos para desespero, e tenha certeza que esse outro humano só vai permanecer se ele gostar de você, aceitá-lo, portanto se quer um conselho, seja tudo o que você nunca foi, assuste o cara entende, pule nele, perturbe ele, leve a bolinha para ele a todo momento não deixe os dois um só momento a sós, resista ao cansaço, e se ainda assim ele permanecer é porque ele gosta mesmo dela, mas também de você.
Nesse momento, a humana do Juca o chamou nos despedimos com as devidas lambidas e cheiradas, e minha humana também acabou por me chamar, corri fiz meu xixi na arvore de sempre  e fui correndo ao encontro dela pulando e lambendo , e nesse ato dizendo ‘’não me deixe, não me abandone, eu te amo’’, e ela me pegou no colo me deu um cheiro e disse:
-Também te amo meu nenenzinho lindo!

Nesse momento eu soube que ela entendeu, e as pulgas que estavam atrás de minha orelha, pararam de coçar um pouco por hora, mas elas voltariam mais tarde...
Voltamos e pelo caminho fomos parando na mercearia, na quitanda, no empório, e minha humana parecia muito empolgada com suas compras e seu compromisso eu me comportando bem, porque a noite eu ia, como é mesmo que se diz???? .....Haaaa abalar Bangu!!!!


Continua.........

Bjucas  SoOonhadoras

2 comentários:

  1. Que diálogo maravilhoso!
    Esperando, ansiosa, o próximo capítulo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir

Seja bem vinda(o)!!!! Feliz pela sua visita!!

Obrigada por me acompanharem!